Alt
Primeira edição das Conferências do Estoril teve lugar em 2009.


Na sua primeira edição, em 2009, as Conferências do Estoril contaram com a presença de dezenas de oradores, das mais variadas esferas públicas e privadas. Entre alguns dos convidados encontravam-se Fernando Henrique Cardoso, Joseph Stiglitz, Mary Robinson, Radha Kumar e Tony Blair. Fomos pioneiros ao colocar Portugal na rota das grandes conferências mundiais. Fomos também pioneiros ao promover grandes debates, sobre questões muito difíceis, tendo por base o pluralismo de ideias e a diversidade de pontos de vista.

Ao nosso palco, subiram nomes como Frederik de Klerk e Viktor Orbán, Hans Rosling, S.A.R. Princesa Laurentien dos Países Baixos, Mohamed Elbaradei, Shirin Ebadi e Vandana Shiva. Recebemos centenas de oradores de renomes internacional, prémios Nobel, chefes e ex-chefes de Estado, políticos, jornalistas ativistas e jovens, muitos jovens. Em cada edição, a qualidade do conteúdo produzido pelos nossos oradores, público e organização cresceu. E, em 2017, atingimos um novo patamar.

Pela primeira vez, as Conferências do Estoril deram o palco a um tema único: as migrações. A Cascais, vieram cerca de 4000 pessoas – um terço das quais jovens – para discutirem um dos maiores desafios do século XXI. Também pela primeira vez, tivemos a honra de receber o Presidente da República de Portugal e o privilégio de ouvir uma carta de Sua Santidade o Papa Francisco dirigida às Conferências do Estoril. O nosso vídeo promocional foi galardoado pelo Alto Comissariado para as Migrações.

Agora, dez anos depois da primeira edição, preparamo-nos para dar início a mais um ciclo de Conferências do Estoril, que irá decorrer entre 27 e 29 de maio de 2019. A sessão de apresentação oficial da sua 6ª edição terá lugar no próximo dia 12 de novembro, no Centro Cultural de Cascais.

O encontro, com início previsto para as 10h30, irá contar com a participação de Ahmad Nawaz, jovem ativista para a paz e educação, do diretor da Nova School of Business and Economics, Daniel Traça, e da diretora das Conferências do Estoril, Teresa Violante.