Alt

Nome: Nuno Garoupa

Funções: Professor de Direito

Áreas de especialidade: Direito Comparativo, Direito e Economia, Política Judicial Comparada


Nuno Garoupa é Professor de Direito na Faculdade de Direito da Universidade A&M do Texas, desde 2015. Antes disso, de 2014 a 2016, foi Presidente da Fundação Francisco Manuel dos Santos, em Lisboa, Portugal. Foi também Professor de Direito e Investigador ‘H. Ross and Helen Workman’, na Faculdade de Direito da Universidade do Illinois e Co-Diretor do Programa de Direito, Ciências Sociais e Comportamentais do Illinois.

Tem um Doutoramento em Economia pela Universidade de York (RU) e um Mestrado em Direito pela Universidade de Londres (RU). Entre as suas áreas de investigação destaca-se a análise económica do direito e das instituições legais. Os resultados destas investigações têm sido publicados em revistas científicas de destaque, tais como: Journal of Legal Studies; Journal of Law and Economics; American Law and Economics Review; Oxford Journal of Legal Studies; American Journal of Comparative Law; Cambridge Law Journal; Journal of Law and Society; European Review of Private Law; European Business Organization Law Review; e Maastricht Journal of European and Comparative Law.

Foi Vice-Presidente da Associação Europeia de Direito e Economia, de 2004 a 2007; integrou o Conselho de Administração da International Society for New Institutional Economics, de 2006 a 2009, e foi Co-Editor da Review of Law and Economics, entre 2004 a 2010.

Nuno Garoupa  recebeu o prémio espanhol de investigação Julian Marias, em 2010, e foi Bolseiro Searle-Kauffman em Direito, Inovação e Crescimento no Searle Center on Law, Regulation, and Economic Growth, na Faculdade de Direito da Northwestern University, de 2009 a 2010.


Webgrafia:

http://www.nunogaroupa.pt/

https://works.bepress.com/nunogaroupa/

http://law.tamu.edu/faculty-staff/find-people/faculty-profiles/nuno-garoupa

http://www.catolicalaw.fd.lisboa.ucp.pt/en/faculty/faculty-cvs/nuno-garoupa

https://www.publico.pt/2017/02/21/sociedade/noticia/40-anos-de-justica-tornaram-a-sociedade-mais-justa-mas-nao-mais-solidaria-1762678